Debates

Inserção externa e desenvolvimento

Inserção externa e desenvolvimento foi um texto (veja os gráficos 1, 2 e 3) escrito em 16.06.1996 e que foi distribuido como recomendação de leitura pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, que o descreveu como um documento interno da equipe econômica. O texto teve ampla repercussão a acabou posteriormente publicado na publicado em Revista de Economia Política 18 (3) julho-setembro de 1998 e como capítulo 1 em O Desafio Brasileiro: ensaios sobre desenvolvimento, moeda e globalização. São Paulo: Editora 34, 1999. A tese central do documento era simples e profunda: “Com o tempo, o ataque aos "fundamentos" deixou de ser apenas um esforço restrito ao equilíbrio fiscal e incorporou diversos outros temas associados à remoção de constrangimentos ao crescimento. A medida que os fundamentos fiscais e monetários vão se consolidando é natural que a agenda da estabilização se confunda com a agenda do desenvolvimento, e numa quadra onde este terá de ter lugar em contornos bastante diversos daqueles do passado recente.”
O texto feriu um nervo sensível, tantos foram os debates, resenhas, artigos, movimentando algumas das melhores mentes do país e algumas das mais confusas e zangadas. Dentre os economistas que escreveram, ou se envolveram em debates sobre o texto, destacam-se, entre outros, Roberto Campos, André Lara Rezende, Álvaro Zini, João Sayad, José Eli da Veiga, Paulo Guedes, Otávio de Barros, Leda Paulani, além do almirante Mário Cesar Flores e uma longa matéria de capa da revista Carta Capital trazendo debate entre trazendo um debate sobre o artigo entre Luiz Gonzaga Belluzzo, Eduardo Gianetti e Paulo Rabelo de Castro.
Dentre os jornalistas também escreveram comentários sobre o texto: Miriam Leitão, Celso Pinto, Oliveiros Ferreira, José Roberto Campos, Antenor Nascimento Neto, Ribamar de Oliveira, Eleonora de Lucena e Elio Gasperi
Franco respondeu aos artigos de Leda Paulani e José Carlos de Souza Braga com o texto Os Parnasianos Alternativos (originalmente publicado na Folha de São Paulo, 24.11.96, e posteriormente republicado como Capítulo 7 de O Desafio Brasileiro). Este texto teve tréplicas de Leda Paulani, Souza BragaLuiz Gonzaga Belluzzo e Aloisio Biondi.

 

Voltar